Asas de Ícaro, feitas de aço | Kong: Ilha da Caveira

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

“E lembrem-se da história de Ícaro, cujo pai lhe deu asas de cera… e advertiu-lhe que não voasse muito perto do Sol. Mas o entusiasmo era grande demais. Então ele voou cada vez mais alto, até o Sol derreter suas asas… e ele caiu no mar. Mas o exército dos Estados Unidos não é um pai irresponsável. Ele nos deu asas para lutar, feitas de aço quente fundido na Pensilvânia”.

Em Kong: Ilha da Caveira (2017), quem narra a fábula das asas de Ícaro é o tenente Preston Packard. Ele faz isso enquanto a sua esquadra de helicópteros cruza uma tempestade elétrica. É, decerto, um típico monólogo de Samuel L. Jackson, à prova de tudo, acima do Bem e do Mal.

Imagem em close de Samuel L. Jackson, interpretando o tenente Preston Packard na cena em que conta o mito sobre as asas de ícaro. Ele usa capacete e comunicador, pois está na cabine de um helicóptero de combate.

No filme, Packard comanda um pelotão das forças armadas norte-americanas, recém-retiradas do Vietnã em 1973. Sua missão é escoltar cientistas a uma ilha desconhecida, lar do poderoso Kong.

É no intuito de levantar a moral dos seus homens que Packard fala das asas de Ícaro. Assim, indo direto ao ponto, resume uma das lendas mais célebres da mitologia grega – até mesmo a corrige, em tom nacionalista. Vamos recordar a lenda, pois ela é um tema constante na cultura pop.

A fábula de Ícaro

O personagem principal da fábula é Ícaro, filho de Dédalo com uma escrava de Minos, lendário rei da ilha de Creta. Presos no labirinto pelo rei, eles fogem graças aos pares de asas feitas por Dédalo. O artesão colou-as com cera, amarrando-as aos seus ombros e aos do filho.

Em seguida, pai e filho levantam voo. Antes de partir, Dédalo disse a Ícaro que não voasse muito alto, já que não deveria se aproximar muito do Sol. Mas Ícaro, orgulhoso de poder voar, ignorou o conselho e foi subindo cada vez mais. Subiu tanto que a cera derreteu, as asas se desmancharam e ele despencou para a morte.

Os antigos gregos relacionavam a lenda de Ícaro à invenção da vela dos navios. De acordo com algumas versões, Dédalo e Ícaro fugiram de Creta em um barco. Eles certamente teriam mais sorte em um helicóptero de carga do exército norte-americano.

Referência

Dicionário de mitologia grega e romana (2011), de Pierre Grimal.

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. Asas de Ícaro, feitas de aço | Kong: Ilha da Caveira, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/asas-de-icaro-feitas-com-o-mais-puro-aco-da-pensilvania/. Acesso em: 04/07/2022.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relacionado