Hércules: de zero a herói 25 anos depois

Em junho de 1997, entrou em cartaz o mais novo desenho animado da Walt Disney Animation Studios. Hércules chegaria aos cinemas brasileiros logo depois do lançamento nos Estados Unidos. Em março do ano seguinte, a Abril Vídeo lançou o filme em VHS na coleção Disney Clássicos. A fita verde com o holograma do Mickey feiticeiro, certamente, ficou na memória da última geração analógica da história.

O filme Hércules marcou a década de ouro da Disney no cinema. Assim como A Bela e a Fera (1991), Aladdin (1992), O Rei Leão (1994) e outros sucessos dos anos 1990. Inspirado na mitologia grega, ele reconta a lenda de Héracles, o mais famoso herói grego — popularmente conhecido pelo seu nome romano, Hércules. Além disso, é repleto de referências à cultura pop.

Duas décadas após seu lançamento, vamos relembrar Hércules. Em seguida, vamos explorar um pouco da sua produção através do material bônus da fita VHS. Depois que acabava o desenho animado, começava um documentário exclusivo em vídeo. Disponibilizei a transcrição no final do post, em PDF.

CONTINUA DEPOIS DA IMAGEM

VHS dublado de Hércules (versão brasileira). Foto tirada pelo autor.

Breve sinopse de Hércules

Na Grécia antiga, os deuses Zeus e Hera celebram o nascimento de seu filho Hércules. Enquanto festejam, o invejoso Hades planeja destronar seu irmão e tomar seu lugar como governante supremo do Olimpo. O senhor do Mundo dos Mortos então descobre que um alinhamento planetário, dali a dezoito anos, permitirá libertar os Titãs, desde que Hércules não interfira. O menino é O Escolhido, portanto, o único capaz de pôr o plano a perder.

Hades manda seus minions Pânico e Agonia matarem Hércules com uma poção que drena a sua imortalidade. Mas, depois que o menino é sequestrado e cai na Terra, o plano dá errado e ele sobrevive. Os fazendeiros Anfitrião e Alcmene o encontram e passam a criá-lo como se fosse sangue do seu sangue. Hércules deixara de ser imortal, por efeito da poção, mas manteve sua força digna de um deus.

Anos mais tarde, um Hércules adolescente descobre a verdade sobre sua origem divina no templo dedicado ao seu pai. Então, com a ajuda do cavalo alado Pégaso, encontra o sátiro rabugento Philoctetes (“Phil”), o lendário treinador de heróis, que decide treiná-lo para fazer dele o maior de todos os heróis.

Making of de “Zero to Hero” (2016). Mais informações em: moviepilot.com

Para ler mais:

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. Hércules: de zero a herói 25 anos depois, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/hercules-de-zero-a-heroi-25-anos-depois/. Acesso em: 23/04/2024.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *