Os Gigantes de Gelo: da mitologia nórdica às mídias

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Neste artigo, vamos saber mais sobre os seres lendários que estão entre os mais populares nas mídias. Os Gigantes de Gelo, também conhecidos como jötuns, ou apenas gigantes, vêm da mitologia nórdica. São, portanto, como o próprio nome diz, gigantes, com proporções titânicas e grotescas. Temos como exemplo disso a Serpente do Mundo Jörmungandr, bem como o seu irmão Fenrir, o lobo gigante. Dos mitos aos games, descubra a importância desses seres.

Os Gigantes de Gelo na mitologia

Eles vivem em Jötunheim, um dos nove mundos míticos, situado ao leste de Midgard, entre rios e uma floresta densa de coníferas. Esta é a Floresta de Ferro, que tem como guardiã a primeira esposa de Loki, a giganta Angrboda. Na maioria das vezes, o mundo dos jötuns é representado como um local gélido, montanhoso e escuro.

O mais conhecido de todos dessa espécie é Loki, o trapaceiro. Ele muitas vezes aparece como um deus, embora, na verdade, seja um gigante. 

Desde os primórdios, os jötuns vivem numa guerra sem fim contra os deuses Aesir, os responsáveis pela morte do gigante Ymir (o progenitor dos gigantes). Essa guerra só tem fim no Ragnarök, no momento em que o reinado dos deuses vai abaixo pelas mãos daqueles que um dia foram humilhados. Thor, o deus do trovão, é um grande inimigo e causador da morte de milhares de gigantes. Fez isso com o auxílio de sua arma (o poderoso martelo Mjölnir, criado com o intuito de matá-los).

A origem dos gigantes

No início de tudo, não existia nada. Apenas um vazio que separava dois mundos distintos: Niflheim, o mundo primordial da névoa e do gelo, ao norte; e Muspellheim, o mundo de fogo, ao sul. No centro do grande vazio, Ginnungagap, o gelo e o fogo se encontraram. Ymir surgiu dessa união, e foi o primeiro de todos os seres.

Ymir era um gigante, e, enquanto tal, preenchia todo o vazio com seu peso e dimensão. Tão grande quanto a criação, ele só dormia e suava devido ao calor que saía de Muspellheim – não surpreendentemente. De seu suor, Ymir gerou os primeiros gigantes, os quais passaram a povoar Niflheim, já que a natureza do mundo sombrio constituía sua própria essência.

Enquanto dormia, Ymir se alimentava do leite da vaca Audumbla, que surgiu junto a ele no encontro entre o gelo e o fogo. Por sua vez, Audumbla se alimentava de blocos de gelo salgado, que formava a matéria física do vazio. Repousando sob o gelo, revelava-se periodicamente a presença de um ser até então desconhecido. Seu nome era Buri, o progenitor dos deuses.

A guerra de gigantes e deuses (e a morte de Ymir)

A guerra dos gigantes contra os deuses é tão antiga como a própria criação dos mundos. Buri teve um filho, que se chamava Bor e mais tarde desposou a giganta Bestla, dando origem os irmãos Odin, Vili e Ve.

Odin e seus irmãos, cresceram frustrados no vazio do Ginnungagap, pois ainda não existia nada, só o gelo e o fogo. Para trazer ordem ao caos, os irmãos se juntaram para acabar com Ymir, pois só assim o mundo que conhecemos hoje seria criado.

O ódio dos gigantes pelos deuses teve início com a queda de Ymir, e eles foram bons inimigos por muito tempo. Ainda que fossem mortos pela frieza de Thor, os gigantes ficariam realizados com a chegada do Ragnarök, que foi escrito antes mesmo da própria escrita. Ele marcava a queda dos deuses pela mão dos gigantes e, portanto, o fim de seu reinado.

Com os Aesir se opondo aos gigantes, a guerra estava declarada, e assim perdurou, embora o tempo ainda não existisse. Quando Odin e seus irmãos enfim mataram Ymir, os mundos que conhecemos hoje surgiram de seu corpo. Da carne, fez-se a terra. De seus ossos, as montanhas e penhascos. De seu crânio, o céu. E de seu sangue, o mar.

A quantidade de sangue que saiu do corpo de Ymir foi tanta que todos os Gigantes de Gelo morreram afogados, exceto Bergelmir e sua esposa, que conseguiram se salvar, sendo os responsáveis pela linhagem de gigantes que viriam a existir em seguida.

Os Gigantes de Gelo nas mídias

Os Gigantes de Gelo surgem nas mídias, tanto quanto na mitologia nórdica, como os principais inimigos dos deuses nórdicos. Vemos isso nos filmes e quadrinhos do Poderoso Thor, da Marvel, no game Assassin’s Creed Valhalla (2020), da Ubisoft, bem como na trilogia de livros Magnus Chase e os Deuses de Asgard.

Added by Whitehorse24 in: https://riordan.fandom.com/wiki/Ymir

Os livros de Rick Riordan trazem os gigantes Ran, Jörmungandr, Utgard-Loki, as filhas do gigante Geirrödr, Hel, Fenrir e Surt. (Este último, embora seja de fogo, é tão significativo quanto os Gigantes de Gelo no Ragnarök – é ele quem incendeia os nove mundos). Também aparecem Thrym e sua irmã. Temos ainda as nove damas das ondas, Aegir (o deus dos mares), Hrungnir, Gunnlod, Suttung e Baugi, Skadi, Hrym etc. Além, é claro, de Loki, o nosso adorável deus da trapaça.

Para não esquecer de Loki

Nos mitos, Loki surge como o inimigo principal destes, além de ser o causador da destruição dos deuses no Ragnarök. Algo que vemos como unanimidade, em quase todas as franquias de filmes, séries, games, livros etc., é Loki como vilão. Isso certamente se deve à sua popularização como personagem da Marvel, e até mesmo por conta da própria mitologia, na qual é visto com desconfiança e temor pelos deuses e deusas. Mas a série de animação What If…?, criada para o Disney+, traz uma versão alternativa do Loki como um Gigante de Gelo.

Assassin ‘s Creed Valhala

Os deuses enfrentam vários gigantes no momento em que estes invadem a sua morada. Portanto, também são representados no jogo como os principais inimigos dos deuses de Asgard.

God of War

Os Gigantes de Gelo assumem um papel diferente do costumeiro. No game, eles aparecem como os injustiçados pelos deuses, sentenciados a uma vida de humilhação e desgraça. Depois do genocídio, restaram só alguns para contar história. O responsável por isso é o famoso deus do trovão… Thor.

A importância dos Gigantes de Gelo

Os gigantes são, de longe, os mais conhecidos seres da mitologia nórdica. Junto aos deuses, assumem um papel importantíssimo nessas narrativas, nas quais surgem sempre como inimigos, ou mesmo como aliados dos deuses (Skadi, por exemplo).

O debate está aberto sobre esses seres fantásticos, sobre os seus papéis nos mitos nórdicos e até mesmo o que eles representam. Se são vilões ou não. O que sabemos é que eles representam a força bruta da natureza, ao passo que os deuses são a ordem contra o caos.

Deixem nos comentários sugestões de futuros textos que vocês gostariam de ver por aqui, ou mesmo análises sobre o conteúdo proposto.

Indicações de leitura

Trilogia Magnus Chase e os Deuses de Asgard, de Rick Riordan.

Edda em Prosa – Snorri Sturluson;

God of War (2018), de J. M. Barlog.

Mitologia nórdica (2017), de Neil Gaiman.

O Poderoso Thor – Marvel.

Mais de João Gabriel Amaro

João Gabriel Amaro

João Gabriel Amaro

João Gabriel é aluno da Escola Estadual Nyrce Villa Verde Coelho de Magalhães, em Juiz de Fora - MG. Seu interesse pela mitologia nórdica começou em 2016, com o lançamento do primeiro trailer de God of War.
João Gabriel Amaro

João Gabriel Amaro

João Gabriel é aluno da Escola Estadual Nyrce Villa Verde Coelho de Magalhães, em Juiz de Fora - MG. Seu interesse pela mitologia nórdica começou em 2016, com o lançamento do primeiro trailer de God of War.

3 respostas

  1. Ficou muito bom o artigo assim como todos os outros,bem carprichado,muito interessante,mal posso esperar para os próximos,o João escreve muito bem,gostei bastante.

    1. Obrigado pelas considerações. Fico feliz que você venha gostando dos meus textos.

  2. Ficou ótimo o artigo! Meus parabéns, se você continuar assim vai longe…Sucesso sempre! 👏👏👏🥰

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relacionado