Medusa e o elmo de Gorgófone em AC Odyssey

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Um dos monstros mais populares da mitologia grega é a Medusa, que estrelou filmes como Fúria de Titãs (1981) e seu remake de 2010. Ela também aparece em games, como Wrath of the Gods (1994), God of War, alguns títulos da série Final Fantasy e no novo AC Odyssey. Neste post, vamos descobrir quem era Medusa e qual a sua relação com o elmo de gorgófone, outra referência à mitologia no game.

Medusa e as górgonas na mitologia

As Górgonas eram três irmãs, Esteno, Euríale e Medusa. Filhas das divindades marítimas Fórcis e Ceto, esses monstros tinham não só cabelos de serpente, mas grandes presas, semelhantes às dos javalis, mãos de bronze e asas de ouro, que lhes permitiam voar. Seus olhos eram cintilantes e transformavam em pedra quem os encarasse diretamente. As Górgonas eram objeto de horror e de medo para todos, mortais e imortais.

Em geral, o nome “Górgona” tem mais relação com a Medusa, a Górgona por excelência. A lenda evoluiu desde as suas origens até o período helenístico (323 a.C. a 146 a.C.). A princípio, a Medusa era um monstro e uma das divindades primordiais da geração pré-olímpica. Posteriormente, ela se tornou vítima de metamorfose, ou seja, transformada em monstro por ousar competir em beleza com a deusa Atena. Por fim, ela morreu pelas mãos do herói Perseu, que lhe cortou a cabeça.

Medusa em AC Odyssey

Na mitologia, a Medusa era a principal das górgonas. No mais novo título da franquia Assassins Creed, é uma encarnação do “Terror Serpeante” (Writhing Dread). Ela habita um templo na ilha Lesbos, em uma vasta extensão de terra morta, cercado de mercenários transformados em pedra, pois este é o fim das suas vítimas.

Por sua vez, Medusa também foi uma vítima em AC Odyssey, embora a “maldição”, no contexto do game, esteja mais relacionada à mitologia de Assassin’s Creed. Medusa antes era humana, mas se transformou em monstro no Projeto Olympos. Outra referência à personagem mítica no game é o escudo lendário Olhar de Medusa (Medusa’s Gaze), pois o item traz a face do monstro em bronze, em alto relevo. Abaixo, veremos a relação de Medusa com outro item raro, o elmo de Gorgófone.

O elmo de Gorgófone

Uma outra lenda que AC Odyssey conta tem relação semântica com a palavra Górgona e, portanto, com a própria Medusa. Em missão secundária, com o propósito de encontrar o elmo de Gorgófone, Kassandra penetra nas catacumbas dentro de um vulcão. Conforme vasculha o local em busca do item, a personagem conta a história de Gorgófone, descrita por ela como “mulher extraordinária, fruto da união de Andrômeda, orgulhosa filha dos reis da Etiópia, e Perseu, o ‘Matador de Górgona’”. Este, aliás, é o significado da palavra Gorgófone. A personagem prossegue com a narração:

Há muito tempo é tradição que as mulheres se casem apenas uma vez, virgens. Se o marido morrer antes dela, elas devem viver como viúvas. Gorgófone desafiou essa tradição (…). O primeiro marido de Gorgófone era Perieres, rei de Messênia e Esparta. Seus filhos cresceram para se tornarem corajosos príncipes e reis de Esparta. Mas Gorgófone teve um segundo marido, o rei Ébalo de Esparta, que lhe daria filhos e netos ainda mais importantes. Helena de Tróia, Castor e Polidectes, Clitemnestra e muitos outros eram seus descendentes”.

Gorgófone é importante na mitologia de Esparta, pois foi a primeira mulher grega a se casar novamente depois de ficar viúva. (Até então, isso não poderia acontecer). Ela se casou com Perieres, com quem teve dois filhos, Afareu e Leucipo. Seus dois outros filhos, Icário e Tindareu, foram atribuídos ora a Perieres, ora a Ébalo, com quem teria se casado após a morte do primeiro.

Referências

Dicionário de mitologia grega e romana (2011), de Pierre Grimal.

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. Medusa e o elmo de Gorgófone em AC Odyssey, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/medusa-e-o-elmo-de-gorgofone/. Acesso em: 04/07/2022.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relacionado