O Sacrifício do Cervo Sagrado e o mito de Ifigênia

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A principal tragédia de 2017 segundo o portal VICE, O Sacrifício do Cervo Sagrado é o quinto filme do grego Yorgos Lanthimos (Dente Canino, O Lagosta). A sua fonte de inspiração é Ifigênia em Áulis (408 a.C.), do poeta Eurípides, também grego. Embora não seja uma adaptação literal da peça, o filme traz ecos da tradição clássica. Sua trama densa e claustrofóbica revela, de forma explícita, o coração do horror físico e renova o poder dos mitos.

Sinopse do filme

O cirurgião cardíaco Steven Murphy (Colin Farrell) causa a morte de um paciente na mesa de operação. Anos mais tarde, recebe a visita de Martin (Barry Keoghan), filho adolescente do homem morto, de quem se torna amigo quase imediatamente. A relação é intensa, e o rapaz se envolve cada vez mais em sua vida. Até revelar sua verdadeira intenção: punir o médico e sua família em nome do que entende por justiça (em outras palavras, vingança).

A regra do jogo é simples: Steven deve escolher se mata sua filha (Raffey Cassidy), filho (Sunny Suljic) ou esposa (Nicole Kidman). Do contrário, eles deixam de andar, de comer e põem sangue pelos olhos, morrendo logo em seguida. A misteriosa doença é o lado mais sombrio dessa tragédia, pois tanto Steven quanto a sua família tornam-se vítimas do sobrenatural. Martin é o causador do mal, ainda que de forma inexplicável, e controla cada um deles.

O mito de Ifigênia

Analogamente, esse é o espírito de Ifigênia em Áulis, o mito que inspirou o filme e é a referência por trás do seu títuloDe acordo com a lenda, o herói Agamémnon causa a ira de Ártemis. A deusa da caça, então, muda o regime dos ventos, deixando os navios aqueus presos na ilha de Áulis, sem poderem voltar a Tróia. Ao consultar o adivinho Calcas, Agamémnon descobre que aplacar a ira da deusa depende de uma única condição. Ele deve sacrificar a sua própria filha Ifigênia, que mora com a mãe em Micenas.

A princípio, Agamémnon se negou a fazer isso. Depois, sob pressão de todos, sobretudo de seus colegas Menelau e Ulisses, teve que ceder. Mandou, então, que lhe trouxessem a filha, sob o pretexto de casá-la com Aquiles. Em seguida, iniciou o sacrifício no altar de Ártemis. A deusa da caça, no entanto, apiedou-se da jovem e pôs uma corça em seu lugar. Foi esse ato de bondade que inspirou o título O Sacrifício do Cervo Sagrado.

Leia mais

Decoding ‘The Killing of a Sacred Deer,’ the Craziest Tragedy of 2017

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. O Sacrifício do Cervo Sagrado e o mito de Ifigênia, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/por-tras-do-sacrificio-do-cervo-sagrado/. Acesso em: 03/07/2022.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relacionado