As faces de Jonas e seu significado em Dark

Compartilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Já falei de Jonas e de sua importância em Dark. De início, ele não sabe quem realmente é, pois desconhece seu papel na trama e as consequências dos seus atos. Mas, quando seu propósito é revelado, descobre que é um viajante do tempo e se empenha em desfazer o que ele próprio ajudou a criar. A viagem de Jonas é uma odisseia no tempo. Ela nos remete à grande viagem da mitologia grega, pois é cheia de perigos e obstáculos. Além disso, há uma versão do personagem para cada uma das três temporalidades da série. A seguir, veremos as diferentes faces de Jonas e o que significam.

As três faces de Jonas

O menino Jonas é uma representação do herói Teseu, como vimos no post anterior. Ele se aventura e se arrisca, pois quer quebrar o ciclo de eventos insólitos que o cercam. No entanto, como somos informados metaforicamente por Martha na peça de teatro da escola, os nós da trama não podem ser quebrados. Sabemos disso em “Assim foi criado o mundo” (2017), sexto episódio da primeira temporada.

Conforme a trama vai se desenrolando, as coisas ficam ainda mais complexas para Jonas (e para o espectador). Isso porque há três linhas do tempo interconectadas, e cada uma tem a sua própria versão dos personagens. Existem, portanto, três faces de Jonas, que correspondem aos três estágios da vida humana (juventude, maturidade e velhice). Ou seja, uma para cada temporalidade da narrativa.

O primeiro é aquele que conhecemos no início da série, um adolescente comum com a vida relativamente normal e feliz até ir de encontro aos mistérios de Winden. O segundo é o “Estranho”, um misterioso andarilho de meia-idade. O terceiro é Adam, o sombrio vilão da história.

Três imagens em sequência: as faces de Jonas. Da esquerda para a direita: o menino Jonas, o Estranho (Jonas de meia-idade) e Adam (o velho vilão deformado).

A Odisseia no tempo: o Estranho é Odisseu

Na pele do estranho sem nome, Jonas trabalha laboriosamente para consertar as linhas temporais, sempre empenhado e dedicado. Por isso, se a viagem de Dark é uma odisseia no tempo, a versão de meia-idade do personagem representa Odisseu. Conhecido como Ulisses pelos romanos, ele era o herói mais célebre da Antiguidade. A sua lenda é o tema da Odisseia de Homero. Esse poema épico do século VIII a.C. descreve a sua jornada de volta ao lar, em Ítaca, depois da guerra de Troia.

Amaldiçoado pelo deus dos mares, Poseidon, Odisseu passa dez ou vinte anos à deriva. O número de anos varia de acordo com a versão da lenda. Ele luta contra mil perigos para sobreviver, mas nunca perde a esperança. Por ser hábil e engenhoso, adjetivos que o definem no poema, Odisseu ficou conhecido como o “herói dos mil artifícios”. Essas também são características do Estranho, uma das faces de Jonas.

Além dele, outro personagem comparável a Odisseu é Ulrich (Oliver Masucci), pois ele também é um viajante do tempo. Após tentar o caminho de volta, no entanto, o desafortunado chefe de polícia acaba preso no passado, onde envelhece e passa o resto dos seus dias.

Adam: a face sombria

Se as faces mais novas de Jonas são boas, ou no mínimo altruístas, Adam é um Jonas mais velho e cruel, desencantado com o estado das coisas e isolado de si mesmo (da sua própria identidade, daquele Jonas mais novo, inocente e bonito que conhecemos no início da série).

O sombrio vilão quer criar um “novo mundo” — mencionado por Martha em seu monólogo —, pois para ele o mundo como existe já não funciona. A sua ideia de “paraíso” está mais ligada à concepção cristã, embora tenha um equivalente na mitologia grega, os Campos de Elísio. Falaremos mais sobre o sinistro Adam e seu plano no próximo post desta série.

Referências

Dicionário de mitologia grega e romana (2011), de Pierre Grimal.

Dicionário básico de filosofia (1991), de Hilton Japiassu e Danilo Marcondes.

Mistério de Ariadne segundo Nietzsche (2006, p. 7-17), de Gilles Deleuze.

A Odisseia, de Homero. Tradução de Donaldo Schüler (2007).

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. As faces de Jonas e seu significado em Dark, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/as-faces-de-jonas-e-seus-significados/. Acesso em: 04/07/2022.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Historiador, professor e escritor. Tem Doutorado em Comunicação (Cinema e Audiovisual) e especialização em Estudos Clássicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Relacionado