Por que o Pantera Negra tem esse nome?

Marvel Studios' BLACK PANTHER..T'Challa/Black Panther (Chadwick Boseman)..Photo: Matt Kennedy..©Marvel Studios 2018

O Pantera Negra é, sem dúvida, um dos personagens mais queridos da Marvel. Criado por Stan Lee e Jack Kirby como o primeiro herói negro da editora, em 1966, ele se destacou nos quadrinhos e faria grande sucesso nas telas décadas mais tarde, em 2018. Mas de onde vem seu nome? A resposta está, antes de tudo, em um partido político norte-americano dos anos 1960. (Naquela época, as populações negras dos Estados Unidos lutavam pelos Direitos Civis). Entretanto, vamos voltar ainda mais no tempo… Afinal, a pantera negra era muito importante na mitologia africana. Vamos descobrir mais sobre o raro e poderoso felino que inspirou o visual e o nome do herói.

Um pouco sobre a pantera negra

Antes de mais nada, a pantera negra é um leopardo com excesso de melanina (pigmento preto). Por isso, além de ser raro, é um predador noturno e carnívoro. Seu hábitat são as áreas com muita vegetação e pouca luz do continente africano. Ela não costuma viver nas regiões tropicais, mas já apareceu na Etiópia, na floresta do Quênia e também de Camarões.

A pantera negra é um símbolo de coragem e força em todo o mundo. Não surpreendentemente, devido à sua raridade e poder, esse felino majestoso e solitário ganhou lugar de destaque na mitologia africana.

A pantera negra na mitologia

A pantera negra simbolizou muitas coisas ao longo da história: o feminino, a mãe e o lado escuro da lua; a escuridão, a morte e o renascimento; o protetor do universo. Não por acaso, despertou fascínio em várias culturas. Os antigos romanos, por exemplo, tamanho o fascínio pelo animal, traziam-no da África para jogos e exibições públicas.

Sobretudo na mitologia africana, as panteras negras tiveram um papel importante. Os egípcios as sacrificavam aos deuses, e os sacerdotes vestiam a sua pele. De acordo com o Livro dos Mortos, o rei Pepi devia cruzar o “teto” do céu com a pele da pantera negra sobre os ombros. O significado disso era que ele estava pronto para entrar no mundo dos mortos. Não é novidade que os egípcios cultuavam os felinos, que davam forma a alguns de seus deuses (Bastet, por exemplo).

A lenda continua…

Ainda hoje, as panteras negras são símbolo de poder. A sua mística não surpreende, afinal, essa criatura combina agilidade, força e beleza. No contexto político dos EUA nos anos 60, a pantera negra deu nome ao Partido dos Panteras Negras (“Black Panther Party“, em inglês). Essa organização política revolucionária, fundada em 1966, lutou contra o racismo e a brutalidade policial, e em favor de programas sociais afirmativos voltados para as populações negras. Naquele mesmo ano seria criado um dos mais queridos personagens da Marvel, que não perde a sua atualidade.

Referências

The Majestic African Black Panther (26 de outubro de 2018).

A Dictionary of the Sacred Language of All Scriptures and Myths (Routledge Revivals, 2016), de G. Gaskell.

Saiba mais

Os ancestrais africanos em Pantera Negra

Pantera Negra: mitos religiosos e o respeito pela ancestralidade, em: https://medium.com/@anacarolinalopesp/pantra-negra-mitos-religiosos-e-o-respeito-pela-ancestralidade-religiosidade-b0f3740bdd1a.

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. Por que o Pantera Negra tem esse nome?, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/por-que-o-pantera-negra-tem-esse-nome/. Acesso em: 23/04/2024.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.

4 respostas

  1. De nada, gostei da abordagem do site, tinha esquecido de outros links na outra postagem, devidamente postados.

  2. Que bom que gostou! Acompanhe os novos posts e também os velhos, em Blog > Artigos ou nas categorias específicas. Em breve teremos uma nova categoria sobre quadrinhos. E fique à vontade para compartilhar! 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *