Khonshu, o deus da lua e o seu avatar

Os deuses do Egito andam entre nós. Esta é a premissa da série Cavaleiro da Lua (Moonknight, 2022), que põe o mundo real e o da mitologia egípcia em rota de colisão. Decerto, a ideia de que a realidade fantástica dos mitos e lendas existe não é novidade para os fãs dos quadrinhos e do MCU. Nas histórias da Marvel, os deuses andam pela Terra disfarçados com o propósito de realizar suas vontades e olhar pelos mortais. (Não só os deuses do Egito, como também os de outros panteões). Um deles é Khonshu, o deus da lua egípcio que age através do mercenário Marc Spector e, posteriormente, do seu alter ego Steven Grant (Oscar Isaac). Mas quem era esse deus na mitologia, e qual é o seu papel na série?

Quem é Khonshu?

Khonshu ou Khonsu é o deus da lua na mitologia egípcia. A princípio, no Antigo Império (“Era das Pirâmides”, 2649–2100 a.C.), ele era o deus sanguinário que ajudava o rei a caçar e consumir certas divindades, para absorver sua força. Esse poder era acessado através de magia. Posteriormente, ele se tornou uma divindade de grande importância em Tebas, no Novo Império (1539–525 a.C.).

O nome de Khonshu significa “andarilho”, o que reflete, por analogia, a trajetória da lua no céu. A sua representação mais comum é a humana, entretanto, sendo ele uma divindade do céu, também pode ter cabeça de falcão. E, na cabeça, leva o crescente da lua nova; sobre ele, o aro da lua cheia. Seu corpo está sempre envolto em vestes bem justas, de tal forma que não era possível diferenciar seus membros.

Khonshu também controlava o destino; era, portanto, o “contador do tempo de vida”. Não por acaso, na série da Marvel, é pelas mãos do deus da lua que Spector renasce. O mercenário então se torna o seu punho e braço direito. Além do sentido de renovação, há outro simbolismo da lua aqui presente, já que ela representa o tempo que passa e é demarcação do mesmo, com suas fases sucessivas e regulares.

O deus da lua de acordo com a Marvel

Na Marvel, Khonshu é um deus ambivalente. Ao mesmo tempo que é protetor dos viajantes noturnos, ele age de acordo com seus interesses e pune aqueles que fazem o mal. Assim que devolve a vida a Spector e o elege como seu punho, o deus pergunta: “Jura proteger os viajantes da noite e levar a minha vingança àqueles que lhes desejam mal?”. Isso porque, nos quadrinhos e na série Cavaleiro da Lua, Khonshu escolhe humanos para servirem de avatar e serem guiados por sua vontade. Faz isso várias vezes através das eras, pois de outra forma o deus é incapaz de adentrar no plano terrestre. No tempo presente, seu avatar assume a identidade de Cavaleiro da Lua. Na série, o deus aparece com uma forma mais estilizada. Sua cabeça flutuante é o crânio de um falcão.

A Enéade

De acordo com a Marvel, Khonshu também é um membro da Enéade, grupo de deuses que o povo do Egito antigo adorava. Logo no episódio 1 Grant faz menção ao termo e se refere a ele como “supergrupo de deuses do Egito”. No episódio 3, Khonshu sugere fazer uma reunião com o tal grupo, o que de fato se concretiza dentro da grande pirâmide de Gizé. O deus da lua não é bem recebido pelo demais, que veem seu hábito de interferir nos assuntos humanos como uma ameaça. Daí em diante, eles não só ficarão bem atentos aos seus atos, como também o ameaçam de punição. Já sabemos que o termo Enéade, na mitologia egípcia, refere-se ao grupo de nove divindades que incluía o Deus-Sol e seus descendentes. (Para conhecer todos os deuses da Enéade, clique aqui).

Referências

Dicionário de símbolos (2020), de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant.

The Routledge Dictionary of Egyptian Gods and Goddesses (2005), por George Hart.

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. Khonshu, o deus da lua e o seu avatar, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/khonshu-o-deus-da-lua-e-seu-avatar/. Acesso em: 18/08/2022.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.