Os deuses de Wakanda em Pantera Negra

O Pantera Negra T’Challa é o líder de Wakanda, a nação mais avançada do planeta. Esse reino, que só existe na ficção, fica ao noroeste da África e tem um sistema próprio de crença, baseado sobretudo na mitologia egípcia. Os deuses de Wakanda são Bast (deusa pantera), Kokou (deus da guerra), Mujaji (deusa da fome), Thoth (deus da luz e da razão) e Ptah (deus dos metais). Com ajuda de seus devotos, esses deuses derrotaram os monstros que existiam antes deles e os baniram do mundo. Desde então, tornaram-se guardiões. No universo da Marvel, eles também são conhecidos como orixás.

Mas atenção: esses deuses ou muitos deles, conforme aparecem nos quadrinhos, são na verdade deuses egípcios e não os orixás tradicionais da religião yorubá. Afinal, essa é uma adaptação da mitologia africana feita pelos quadrinhos da Marvel! Vamos entender melhor no final do texto. Antes de mais nada, é hora de mergulhar nos mitos e lendas de Wakanda e conhecer cada um desses deuses…

Bast, a deusa pantera

Bast é filha de (o deus-sol egípcio), de quem herdou o calor solar vivificante. Nos quadrinhos, ela e os outros deuses de Wakanda eram mortais que posteriormente se tornaram seres divinos. Bast tem a forma de pantera. Do culto a ela, portanto, surgiu a classe de guerreiros “Panteras Negras”. Seu nome vem da deusa egípcia Bastet, que também é filha de Rá e herdeira da sua fúria. Nos primórdios do Egito, a imagem da deusa era a da leoa (pela sua ferocidade), mas ela depois se tornou a deusa com face de gato. A leoa, então, virou a imagem de outra deusa: Sakhmet.

Kokou, o deus da guerra

No panteão de Wakanda, Kokou é o deus da guerra. Seu corpo e sua cabeça são feitos de fogo, por isso ele é conhecido como “O Sempre Ardente”. Para os egípcios, no entanto, o fogo tinha mais relação com a vida e a saúde, ou ainda com as ideias de superioridade e controle.

Mujaji, deusa da fome

Mujaji é a deusa do sustento. Então, era a ela que os mortais suplicavam em tempos de fome. Aparentemente, Mujaji deu a Wakanda seu nome, já que os xamãs a descreveram como “aquela que nos deu o nome”.

Thoth, deus da sabedoria

No panteão de Wakanda, Thoth é o mesmo deus dos egípcios, mas com habilidades de super-herói e artefatos mágicos, além de imortalidade. Ele era o deus da sabedoria entre os egípcios, aquele que transmitiu o conhecimento aos povos do rio Nilo.

Ptah, deus dos metais

Junto de Bast e Thoth, Ptah é outro deus egípcio agregado ao panteão de Wakanda, onde ganhou o nome de “Ptah, o Formador”. Isso porque era ele quem dava os metais aos humanos, sempre que eram necessários, principalmente o vibranium.[1] Na mitologia egípcia, Ptah era o deus de Mênfis, antiga capital do Egito. Foi ele quem deu a vida aos outros deuses, em seguida deu a eles cidades, santuários e oferendas.

Os orixás (segundo a Marvel e na religião africana)

Nos quadrinhos da Marvel, os deuses africanos surgiram em época muito antiga, na terra que receberia o nome de Wakanda. No momento em que os forasteiros lutavam contra as feras que lá viviam, os heróis de maior destaque entre os humanos se tornaram deuses, a partir da fé. Conhecidos como orixás, esses deuses derrotaram os monstros e os baniram do mundo.

Desde então, os orixás tornaram-se guardiões e ancestrais do povo de Wakanda. No entanto, conforme vimos, essa é uma adaptação dos mitos africanos feita pela Marvel, que inclui até mesmo deuses egípcios (o que faz sentido devido à localização geográfica de Wakanda, mais ao norte da África). A inspiração é de fato egípcia, pois não tem nada (ou quase nada) da religião yorubá. A maioria desses deuses apareceu pela primeira vez na revista Black Panther #13 (2017).

Reinaldo Prandi explica os orixás na religião africana e afro-americana. Para os yorubás e os seguidores de sua religião nas Américas, os orixás são deuses que receberam de Oludurame ou Olorum, o Ser Supremo, o dever de criar e governar o mundo. Sendo assim, cada um deles ficou responsável por certos aspectos da natureza, da vida em sociedade ou mesmo da condição humana.

Na África, o culto aos orixás limita-se a cidades ou regiões, enquanto poucos deles têm culto em toda ou quase toda a extensão das terras yorubás. O panteão yorubano na América é formado por cerca de vinte orixás. No Brasil, com poucas exceções, cada orixá é celebrado em todo o país.

Referências

Black Panther #13 (26 de abril de 2017).

A Dictionary of Symbols: Revised and Expanded Edition (2020), de Juan Eduardo Cirlot.

Mitologia dos Orixás (2001), de Reginaldo Prandi.

Egyptian Myths (1990), de George Hart.

The Routledge Dictionary of Egyptian Gods and Goddesses (1986), de George Hart.

Como citar este artigo? (ABNT)

REIS FILHO, L. Os deuses de Wakanda em Pantera Negra, Projeto Ítaca. Disponível em: https://projetoitaca.com.br/os-deuses-de-wakanda-em-pantera-negra/. Acesso em: 16/04/2024.


[1] Wakanda é rica no metal ficcional conhecido como vibranium. Foi através dele que o país criou sua tecnologia avançada, seus armamentos e meios de proteção.

Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.
Lucio Reis Filho

Lucio Reis Filho

Lúcio Reis Filho é Ph.D. em Comunicação (Cinema e Audiovisual), escritor e cineasta especializado nas interseções entre Cinema, História e Literatura, com foco nos gêneros do horror e da ficção científica. Historiador com especialização em Estudos Clássicos pela Universidade de Brasília, em parceria com a Cátedra Unesco Archai (Unb/Unesco), é Coordenador do Projeto Ítaca. Seus interesses acadêmicos e de pesquisa são essencialmente interdisciplinares; abrangem Cinema, Artes Visuais, História, Literatura Comparada e Estudos da Mídia. Escreve periodicamente resenhas de livros, filmes e jogos para diversas publicações.

6 respostas

  1. O texto é bom, mas dá a entender que não existem os orixás na Marvel além dos de Wakanda, na verdade essa nomenclatura pro panteão de Wakanda é recente, quando Stan Lee e Jack Kirby criaram o Pantera Negra, foi estabelecido que a nação africana de Wakanda adorava o Deus Pantera, logo depois apareceriam outros deuses, como o Deus Leão (que era um inimigo do Deus Pantera) , nas décadas seguintes, apareciam os loas do vodu e os orixás de origem ioruba (como Xangô), quando o Christopher Priest assumiu o Pantera Negra no final dos anos 90, ele plantou a ideia que o Deus Pantera seria Bast, a deusa gata negra egípcia, então, outros autores passariam a adotar o nome Bast, ora como deus pantera, ora como deusa pantera, por associação, Deus Leão seria Sakhmet, a adoção do nome Orisha no singular para o panteão de Wakanda é uma adição recente do escritor Ta-nehisi Coates, antes disso, o Marvel Atlas 2 (maio de 2008) declarou que Wakanda tem 3 idiomas oficiais: o fictício wakandano, hauça e o iorubá, o que explica o uso do termo, ele adicionou outros deuses egípcios como Thot e Ptha, mas se inspirou em outras divindades africanas, Kokou é um orixá de Benin, Mujaji pode ter sido inspirada nas Modjadji, rainhas da chuva tribo Balobedu na África do Sul. Ele fez um misto não só nos membros, como também pelo visual que remete ao Antigo Egito. Antes dele, era dito que os deuses egípcios pertenciam ao grupo chamado Heliopolitans. No filme Capitão América – Guerra Civil, T’Challa diz que Bast e Sakhmet guiam as almas wakandanas aos campos verdes, indicando que nessa versão, ambas não são adversárias.
    Deixo uns links sobre o assunto:
    http://www.marvunapp.com/Appendix/africg.htm
    https://marvel.fandom.com/wiki/Gods_of_Wakanda_(Earth-616)
    http://www.marvunapp.com/Appendix/bast.htm
    https://marvel.fandom.com/wiki/Bast_(Earth-616)
    https://en.wikipedia.org/wiki/Heliopolitans

  2. Esqueci desses ensaios
    https://web.archive.org/web/20080210052054/https://www.adherents.com/lit/comics/BlackPanther.html

    https://savioroz.wordpress.com/2020/08/29/a-morte-a-pantera-a-despedida-a-chadwick-boseman-e-o-imaginario-religioso-de-wakanda/
    https://medium.com/@ka_bral/o-grande-texto-que-voc%C3%AAs-estavam-esperando-sobre-pantera-negra-dfb80c88972a

    https://savioroz.wordpress.com/2018/07/16/tempestade-a-iansa-dos-quadrinhos/
    A Tempestade é muito comparada com Oya ou Iansã, embora eu nunca tenha visto que possa ter sido uma inspiração, contudo, o Coates colocou ela como uma espécie de avatar de uma antiga deusa wakandana chamada Hadari Yao (é possível que Yao seja um anagrama de Oya), a própria Oya já apareceu, assim como uma mutante que poderes elementais que usa o codinome, nesse ensaio, há um comentário sobre Oya, o ensaio é bem antigo (o comentário é de 2002)

    https://web.archive.org/web/20080222012214/http://www.adherents.com/lit/comics/Storm.html
    https://marvel.fandom.com/wiki/Ororo_Munroe_(Earth-616)

    Aqui no Brasil temos a série Orixás do Alex Mir e a HQ Contos dos Orixás do Hugo Canuto, embora não sejam super-heróis, não há como desassociar, Mir usou o Ogum no grupo Defensores da Pátria em 2007 e o Hugo se inspirou na estética dos comics, com influências de Jack Kirby e John Buscema.

  3. Muito obrigado pelo comentário! A ideia deste post foi apresentar alguns paralelos entre as divindades e suas representações, mas um novo texto detalhando a riqueza de referências do panteão de Wakanda já está nos planos. Suas dicas vão ajudar muito! Obrigado pela contribuição! Parabéns também pelo seu Blog!

  4. Outro link que acabei esquecendo, é interessante como antes, vudu era só um nome genérico (algo como macumba aqui), até inventavam divindades, como Mamalu ou faziam representações irreais, hoje creio que há uma bibliografia melhor e um interesse em mostrar algo mais plural.
    https://marvel.fandom.com/wiki/Vod%C5%AB

    Obrigado, o blog veio depois de ficar fazendo comentários em sites, blogs, redes sociais, vídeos, podcasts, etc… Não tenho um cronograma, pinta uma ideia e vejo se dá pra fazer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *